Coronavírus: os perigos de usar remédios sem supervisão

Após Trump e Bolsonaro mencionarem medicamento usado em estudos iniciais sobre o tratamento da covid-19, houve corrida para as farmácias. Efeitos colaterais, no entanto, podem ser graves

    O presidente Jair Bolsonaro declarou no sábado (21) que o Exército iria “imediatamente” expandir a produção de cloroquina em seus laboratórios como parte da estratégia de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

    Na quinta-feira (19), seu colega americano, Donald Trump, em entrevista coletiva, havia declarado que o medicamento poderia “virar o jogo” no combate ao novo vírus. Dois dias depois, no Twitter, Trump se mostrou ainda mais entusiasmado, afirmando que a hidroxicloroquina e a azitromicina “se tomadas juntas têm a chance de se tornarem um dos maiores trunfos na história da medicina”.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.