Ir direto ao conteúdo

O vídeo em 4K que mostra o cotidiano na Rússia czarista de 1896

Usando inteligência artificial, programador remasterizou cenas da vida em Moscou no final do século 19

Temas

Em seu canal de YouTube, o programador Denis Shiryaev publicou um vídeo remasterizado e colorido mostrando a vida cotidiana na Rússia czarista, no ano de 1896.

As imagens mostram o movimento em uma das ruas da capital Moscou, com os cidadãos em trânsito, estranhando a presença de uma câmera.

Para remasterizar o vídeo, Shiryaev usou uma inteligência artificial chamada Gigapixel AI. Essa tecnologia de aprimoramento de imagem está presente também em televisores 4K e 8K, que contam com altíssima definição de imagem, e usam inteligência artificial para preencher os pixels que faltam em imagens que originalmente possuem resolução mais baixa.

Para que o algoritmo seja capaz de reconstruir corretamente os detalhes da imagem, o software usa redes neurais artificiais – um modelo matemático inspirado no sistema nervoso central, capaz de reconhecer padrões.

Para isso, é preciso “alimentá-lo” com exemplos do resultado correto a ser produzido: no caso, milhares de fotos em baixa e alta resolução, de forma a treinar a inteligência artificial para preencher o que falta, tornando-a capaz de transformar uma imagem de menor resolução (o “input”) numa de alta resolução (o “output”).

A Rússia czarista

O czarismo foi um sistema político russo que durou de 1547 a 1917. Nesse período, a Rússia era governada por um imperador – o czar, título cujo nome era derivado dos Césares do Império Romano – que tinha poderes absolutos.

Por séculos, o czarismo manteve-se inabalável na Rússia. Foi num domingo de 1905 que começou uma série de eventos que, pouco mais de uma década depois, colocariam um fim no regime.

Em 9 de janeiro daquele ano, trabalhadores russos marcharam até o palácio imperial de São Petersburgo, reivindicando ao czar direitos trabalhistas, como uma jornada diária de 8h e liberdade de reunião.

Os manifestantes foram recebidos a tiros pela Guarda Imperial. Era inverno, e a neve foi tingida de vermelho pelo sangue dos manifestantes. Cerca de 1.000 pessoas morreram, e outras 5.000 ficaram feridas. O dia posteriormente foi batizado de “domingo sangrento”, e serviu para mobilizar ainda mais a oposição ao czarismo.

Doze anos depois, em 1917, o regime seria derrubado de uma vez por todas, com uma revolução liderada pelo Partido Bolchevique de Vladimir Lênin e inspirada pelos ideais do filósofo alemão Karl Marx. A revolta culminou no assassinato da família Romanov e na instauração do governo socialista soviético.

A Revolução Russa de 1917 foi mais um dos eventos que moldou o século 20. Nas décadas posteriores, a Rússia comunista se tornaria uma das maiores potências do mundo e se tornaria coprotagonista da Guerra Fria, embate indireto entre os Estados Unidos e a União Soviética que teve repercussões que duram até os dias de hoje.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!