Por que trabalhadores remotos são pagos para se instalar em cidades

Município americano de Tulsa lançou iniciativa que busca atrair pessoas que fazem home office

    Com uma parcela cada vez maior da população trabalhando remotamente, algumas cidades dos Estados Unidos vêm criando incentivos – inclusive financeiros – para atrair novos moradores com esse perfil. Há iniciativas em Tulsa, em Oklahoma, e em Topeka, no Kansas, além de cidades nos estados de Vermont e Alabama.

    Nos EUA, o fenômeno das cidades que oferecem dinheiro e outros benefícios para que pessoas se mudem tem relação com a diminuição da população de determinados estados, o que tem impacto negativo sobre as economias locais. O encolhimento populacional se deve, por exemplo, à redução da taxa de fecundidade, ao envelhecimento no país e a uma “fuga de cérebros” dessas localidades – trabalhadores mais qualificados deixam suas cidades em busca de mercados de trabalho mais atraentes.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.