O home office como saída contra contaminações do coronavírus

No Brasil e no exterior, companhias já adotaram o trabalho remoto. Prática encontra resistência por parte de alguns supervisores

    Na última década, o home office se tornou uma prática cada vez mais comum em empregos de escritório ao redor do mundo. Com esse modelo de trabalho, o funcionário realiza suas atividades diárias em casa, se comunicando com o resto da equipe por meio de plataformas digitais.

    O Brasil seguiu a tendência: segundo levantamento do IBGE, em 2018, 5,2% dos trabalhadores ocupados do país trabalhavam em regime de home office, excluindo da conta funcionários do setor público e trabalhadores domésticos. Ao todo, a porcentagem equivalia a cerca de 3,8 milhões de pessoas.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.