Por que a imprensa fica no Alvorada mesmo sob ataque

Jornalistas enfrentam hostilidade do presidente e de apoiadores enquanto trabalham. Especialistas debatem a validade de realizar a cobertura jornalística nessas condições

    “Se vocês sofrem ataque todo dia, o que vocês estão fazendo aqui? O espaço é público, mas o que vocês estão fazendo aqui? O dia que vocês [se] conscientizarem que vocês são importantes fazendo matérias verdadeiras, o Brasil muda”, afirmou o presidente Jair Bolsonaro na quinta-feira (5) a jornalistas que o aguardavam em frente à sua residência oficial em Brasília.

    Em diversas ocasiões, profissionais da imprensa que fazem a cobertura diária no Palácio da Alvorada tiveram de lidar com ofensas vindas de Bolsonaro, incluindo gestos de “banana”. Ao lado, uma claque de apoiadores costuma apoiar as atitudes presidenciais, aumentando o coro de críticas e ataques aos repórteres.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.