Ir direto ao conteúdo

O projeto que digitaliza partituras e gravações de cantos medievais

Arquivo digital montado por historiadora quer trazer à luz mais de 300 materiais que ajudam a contar a história da Igreja irlandesa, uma das maiores na Europa durante a Idade Média

    Temas

    Um projeto chamado Amra, criado pela historiadora musical Ann Buckley, da universidade Trinity College Dublin, na Irlanda, planeja digitalizar e disponibilizar mais de 300 manuscritos, orações e gravações de cantos associados a santos medievais irlandeses.

    A proposta é montar um arquivo com materiais resgatados em bibliotecas da Europa. Ele deve incluir partituras de músicas, traduções de textos em latim e mapas mostrando a distribuição de cultos de santos irlandeses. Até fevereiro de 2020, o projeto mantém uma página no Facebook com alguns materiais, mas ainda não está finalizado.

    Entre os santos representados no arquivo está São Patrício (em inglês, St. Patrick), principal padroeiro da Irlanda. Ele dá nome a uma data comemorativa no país, o Dia de São Patrício, celebrada no dia 17 de março. Além dele, outros santos que aparecem no arquivo são Columbano, Finnian de Clonard e Brígida da Irlanda, entre outros.

    Abaixo é possível ouvir um dos cantos encontrados pelo projeto, chamado de “Magni patris/Mente munda”. A partitura foi tirada dos arquivos de São Patrício. “Nenhum outro santo irlandês é representado de maneira tão extensa ou com tanta variedade nas fontes litúrgicas medievais”, disse Buckley ao site Medievalists.net.

    Qual a importância do projeto

    Muito diferente da versão romana, o catolicismo irlandês se espalhou pela França, Alemanha, Suíça, Itália e norte da Espanha durante a Idade Média, influenciando práticas litúrgicas do continente. A influência cresceu por meio de missões de monges como São Columbano.

    Para Buckley, o Arma integra um movimento recente de historiadores que têm se proposto a “restaurar [a Igreja irlandesa] em seu devido lugar no mapa histórico europeu”. Além disso, o arquivo vale por trazer à luz textos e cantos que haviam sido esquecidos. Nesse sentido, o material contribui para a própria história medieval, segundo ela.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!