As mentiras contra a jornalista da Folha na CPI das Fake News

Repudiado por sua misoginia, depoimento de ex-funcionário de empresa que realizou envio de mensagens durante campanha eleitoral foi endossado por Eduardo Bolsonaro e outros deputados

    Um ex-funcionário de uma empresa de marketing digital usou informações falsas para atacar a repórter especial do jornal Folha de S.Paulo Patrícia Campos Mello na terça-feira (11), durante depoimento à CPI das Fake News, comissão parlamentar de inquérito que investiga o uso sistemático de desinformação na campanha de 2018. Hans River do Rio Nascimento, que trabalhou para a Yacows nas eleições, declarou que Campos Mello teria se insinuado sexualmente com o objetivo de obter informações.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.