O que o Brasil ganha e perde com o status de desenvolvido nos EUA

Mudança na classificação afeta mais de 20 países. Medida tem como principal alvo a China, e aumenta poder americano para agir contra subsídios de exportação

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos publicou na segunda-feira (10) uma medida que altera a classificação do Brasil e mais 24 países de “em desenvolvimento” para “desenvolvido”. A medida entrou em vigor no próprio dia da publicação.

Segundo o comunicado do governo americano, a mudança foi feita levando em conta aspectos como o nível de desenvolvimento de um país e a sua participação no comércio internacional. O documento afirma que não leva em consideração critérios de desenvolvimento social, como expectativa de vida, taxas de analfabetismo em adultos e mortalidade infantil.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.