A ação da polícia de SP nos protestos contra o aumento da passagem

Terceiro ato contra tarifas de 2020 foi marcado por confronto. Governo de João Doria regulamentou lei de 2014 que endurece regras para manifestantes

    Manifestantes membros do MPL (Movimento Passe Livre) realizaram na quinta-feira (16) um terceiro ato contra o aumento das passagens do transporte público na cidade de São Paulo. Desde 1º de janeiro de 2020, a tarifa para ônibus e metrô subiu de R$4,30 para R$4,40.

    A Polícia Militar impediu que o protesto, iniciado no Theatro Municipal, alcançasse a Rua da Consolação, 500 metros adiante. Manifestantes que tentaram furar o bloqueio foram reprimidos com mata-leões, bombas de efeito moral e balas de borracha.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.