Gravidez de jovens: por que defender abstinência é ineficaz

Inspirada nos EUA, ministra Damares Alves avalia adoção de estratégia que prega que jovens deixem de fazer sexo

    O ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do governo de Jair Bolsonaro considera adotar a promoção da abstinência sexual como estratégia para reduzir a gravidez na adolescência.

    No início de dezembro de 2019, a pasta comandada por Damares Alves promoveu um seminário na Câmara dos Deputados para o qual foram convidados apenas defensores da chamada “preservação sexual”, ideia de que jovens devem deixar de transar para se proteger de uma gestação indesejada e de doenças sexualmente transmissíveis.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.