O que mudou na revalidação do diploma dos médicos

Projeto aprovado pelo Congresso com alterações no Revalida depende agora de sanção de Jair Bolsonaro. Ministério da Educação já anunciou duas edições em 2020

    O Congresso aprovou no final de novembro de 2019 um projeto de lei que altera o processo de revalidação de diplomas para que médicos formados no exterior possam exercer a profissão no Brasil. A medida depende da sanção do presidente Jair Bolsonaro, que pode aprovar ou vetar trechos do texto. O projeto é criticado por entidades médicas.

    O Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira) é feito desde 2011, mas sua última edição ocorreu em 2017. O Ministério da Educação, responsável por sua realização, afirma que o custo do exame é alto e que grande parte das inscrições acabam judicializadas.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.