Como o Pisa revela uma década de estagnação do ensino no Brasil

Embora o país tenha obtido leve melhora em relação à edição de 2015, notas de 2018 em áreas de aprendizagem não apresentaram evolução em dez anos. Nexo ouviu dois especialistas em educação sobre o resultado do exame

    As notas do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) de 2018 divulgadas na terça-feira (3) revelam que, na última década, o Brasil ficou estagnado nas últimas posições em leitura, matemática e ciências, áreas de aprendizagem avaliadas pelo exame. A mais recente edição da prova foi aplicada a alunos de 15 anos em 79 países. Nas três disciplinas, o Brasil ficou abaixo da média dos participantes.

    O Pisa é feito a cada três anos, desde 2000, pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Em 2018, foram avaliados 37 países-membros da organização e 42 parceiros, entre os quais o Brasil, que participou de todas as edições desde a sua criação.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.