Como surgiu a ideia errada de que indígenas são preguiçosos

Procurador de Justiça disse que africanos foram escravizados no passado porque ‘índio não gosta de trabalhar’. Declaração parte de equívoco histórico e reforça estereótipo racista

Um procurador do Ministério Público Estadual do Pará chamado Ricardo Albuquerque afirmou que a escravidão de africanos e seus descendentes ocorreu no Brasil porque “índio não gosta de trabalhar”.

A declaração foi dada em uma palestra sobre a atuação do Ministério Público na defesa de direitos civis voltada a estudantes de direito no Pará. Foi então postada nas redes sociais e divulgada na terça-feira (26) pelo jornal O Globo, que teve acesso a áudios da conversa. Na ocasião, o procurador também defendeu que não há “dívida com quilombolas”.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.