O que muda com a carteira de estudante do governo Bolsonaro

Manutenção de sistema de identidade digital custará ao Ministério da Educação R$ 10,5 milhões ao ano; pasta terá acesso a um novo banco de dados

    O presidente Jair Bolsonaro assinou no início de setembro uma medida provisória que criava uma carteirinha digital estudantil. O documento, gratuito, começará a ser emitido nesta segunda-feira (25) para estudantes cadastrados por suas instituições de ensino junto ao Ministério da Educação. A identidade digital dá direito de pagar meia-entrada em eventos culturais.

    A iniciativa atinge entidades estudantis que sobrevivem da cobrança pela emissão da carteirinha, como a UNE (União Nacional dos Estudantes), que faz oposição ao presidente e é comandada pela juventude do PCdoB (Partido Comunista do Brasil) desde 1991.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.