O que é o DPVAT. E quais as consequências de extingui-lo

Fim de seguro que indeniza vítimas de acidente de trânsito irá tirar R$ 2,1 bilhões do SUS e afetar empresa de Luciano Bivar, presidente do PSL e desafeto de Bolsonaro

     

    O presidente Jair Bolsonaro decidiu acabar com o seguro obrigatório pago por todos os donos de veículos no país para indenizar vítimas de acidentes de trânsito, conhecido como DPVAT. A medida consta de uma medida provisória assinada na segunda-feira (11) e passa a valer a partir de 1º de janeiro de 2020. Até 31 de dezembro de 2019, todos os acidentes de trânsito que ocorrerem continuam cobertos pelo seguro.

    A decisão ainda depende do Congresso. Medidas provisórias possuem força de lei desde o momento em que são editadas e valem por até 120 dias. Nesse período, precisam ser aprovadas na Câmara e no Senado. Caso não sejam analisadas ou se forem rejeitadas, perdem a validade.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.