Ir direto ao conteúdo

3 boatos verificados nesta semana para você ficar de olho

O ‘Nexo’ integra o Comprova, coalizão de 24 veículos jornalísticos que em 2019 busca combater a desinformação sobre políticas públicas

    As redes sociais são um importante meio de comunicação tanto para os cidadãos quanto para os governos, ao divulgar e esclarecer políticas públicas. Mas nelas também se proliferam posts, imagens e vídeos fabricados, manipulados ou retirados de contexto para favorecer ou prejudicar visões políticas. É um ambiente em que conteúdos podem ser disseminados rapidamente, sem preocupações com fonte e veracidade.

    Para combater a desinformação na política surgiu o Comprova, do qual o Nexo faz parte. A iniciativa, que está na segunda etapa, é resultado de uma coalizão entre 24 diferentes veículos de comunicação brasileiros para identificar e apurar informações enganosas ou deliberadamente falsas disseminadas sobre políticas públicas em âmbito federal.

    Abaixo, selecionamos três verificações feitas pelo Comprova na semana que passou. Confira:

    Não há fábricas fechando filiais na Argentina para vir ao Brasil

    Não é verdade que fábricas estejam encerrando suas atividades na Argentina e se instalando no Brasil, como sugere uma publicação no Facebook que viralizou nas redes sociais desde terça-feira (6).

    A publicação, feita pelo Jornal da Cidade Online, compartilha um texto do site de mesmo nome que diz no título que “confiança é tudo: Scania, Hyundai, GM, Carrefour e Honda anunciam investimentos no Brasil”. O texto também diz, sem especificar, que inúmeras empresas anunciaram o fechamento de suas fábricas na Argentina e a instalação no Brasil.

    A afirmação sobre os investimentos no Brasil é verdadeira — eles foram anunciados no primeiro semestre de 2019. Mas nenhuma das empresas citadas no texto disse que fechará fábricas na Argentina. A Hyundai, aliás, sequer tem fábrica no país vizinho. As empresas tampouco estão se instalando no Brasil — todas têm unidades no país há anos.

    Ao Comprova José Tolentino, editor do site Jornal da Cidade Online, afirmou que a publicação se baseava em um tweet de Jair Bolsonaro. Ele também disse que a informação, assim que se comprovou falsa, foi retirada do site no dia 6 de novembro. Após contato do Comprova, na sexta (8), o portal também retirou a alegação do texto no Facebook.

    Bolsonaro também espalhou boato

    A postagem no Facebook do Jornal da Cidade Online surgiu no mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro tuitou a afirmação falsa, mas dizendo que outras empresas (MWM, Honda e L’Oréal) estavam deixando a Argentina. A publicação de Bolsonaro foi apagada pouco depois de uma hora e o boato foi desmentido pelas empresas citadas.

    A publicação foi feita depois de Bolsonaro ter feito críticas ao recém-eleito presidente da Argentina, Alberto Fernández, que tem como vice a ex-presidente Cristina Kirchner. Bolsonaro é crítico ao kirchnerismo e apoiou a reeleição do presidente Mauricio Macri. No início de outubro, o brasileiro disse que não iria à posse de Fernández.

    A verificação foi feita por: Folha de S.Paulo e Poder360, e validada por outros veículos. Veja aqui a íntegra da verificação.

    É falso que a China doou 60 helicópteros militares ao Brasil após viagem de Bolsonaro

    É falso que a China doou 60 helicópteros de uso militar ao Brasil, como afirmam publicações que circulam nas redes sociais desde o fim do mês de outubro, quando o presidente Jair Bolsonaro visitou o país asiático.

    Ao Comprova o Ministério da Defesa afirmou que nem a pasta nem as Forças Armadas têm negociações para recebimento de helicópteros dos chineses. Uma nota oficial publicada pelo Ministério das Relações Exteriores após a viagem tampouco cita ganho na área militar em decorrência da reunião entre Bolsonaro e o dirigente chinês, Xi Jinping.

    A nota do Itamaraty aponta acordos entre os países nas áreas de política, economia e comércio, agricultura, ciência e tecnologia, energia e educação. China e Brasil assinaram 11 atos de cooperação durante a viagem de Bolsonaro, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. Dois deles resultarão em aumento imediato das exportações brasileiras.

    A verificação foi feita por: GaúchaZH e O Povo, e validada por outros veículos. Veja aqui a íntegra da verificação.

    Para desqualificar presidente da UNE, boato diz que ele estuda ciências sociais desde 2004

    São falsas as postagens em redes sociais que dizem que o presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), Iago Montalvão Oliveira Campos, tem 33 anos e é estudante de ciências sociais desde 2004.

    Montalvão, na verdade, tem 26 anos e é estudante de ciências econômicas desde 2018 na USP (Universidade de São Paulo). Antes disso, ele estudou história em três diferentes instituições de ensino superior — a primeira matrícula é de 2011. Em 2004, ele tinha 11 anos.

    A trajetória de Montalvão no ensino superior começou na Universidade Federal de Goiás, em 2011, quando ele fez a primeira matrícula em história. Mais tarde, ele pediu transferência para a Universidade de Brasília. Em 2017, ingressou na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, ainda no mesmo curso, e no ano seguinte foi aprovado em economia na USP por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificado).

    A verificação foi feita por: GaúchaZH, Band, UOL e Correio, e validada por outros veículos. Veja aqui a íntegra da verificação.

    Você recebeu algum conteúdo sobre políticas públicas que ger ou dúvida e gostaria que o Comprova checasse? Envie uma mensagem de WhatsApp para (11) 97795-0022 ou pelo site do Comprova.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!