Como ficou o emprego 2 anos após a reforma trabalhista

No terceiro e último texto da série sobre os dois anos da reforma trabalhista, veja o que aconteceu com o desemprego, a informalidade e a renda depois da mudança na lei

     

    A reforma trabalhista, aprovada em 2017, completa dois anos de vigência em novembro de 2019. As mudanças estão entre as principais pautas da agenda do então presidente Michel Temer, que assumiu o poder após o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016.

    O argumento mais usado para defender a flexibilização do regime de trabalho no Brasil era que a mudança resultaria em geração de empregos. Em um momento de crise econômica profunda, a promessa foi essencial para a aprovação da reforma no Congresso.

    Junte-se ao Nexo!

    Fique informado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    Você pode cancelar quando quiser sem dificuldades

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.