Óleo no Nordeste: o que há de esforço e o que há de omissão

Governo federal foi acusado de omissão pelo Ministério Público. Mas Justiça Federal avaliou que a União vem implementando plano de contingência

 

Desde o dia 30 de agosto, manchas de petróleo vêm tomando conta de praias do litoral do Nordeste brasileiro. No balanço de 19 de outubro, ao menos 200 pontos, em 81 municípios dos nove estados da região, já tinham sido atingidos. A origem do vazamento é, quase dois meses depois de seu início, desconhecida.

Sociedade civil, governos locais e braços do governo federal, incluindo a Petrobras, uma estatal brasileira de capital misto, com ações negociadas na Bolsa e focada no setor de petróleo, têm atuado na crise ambiental, tentando limpar a poluição nas praias e no mar.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.