O livro que influencia a visão ambiental do governo

Usadas por ruralistas e políticos há décadas, ideias de autor mexicano sobre suposta “máfia verde” de ONGs ficaram mais próximas do poder desde a chegada de Jair Bolsonaro à presidência

     

    “(..) uma complexa rede de poderosos interesses supranacionais que criaram, financiam e manipulam o movimento ambientalista-indigenista internacional, como arma política para dividir e obstaculizar o desenvolvimento soberanos de países como o Brasil, dotados de importantes recursos naturais, para exercer controle sobre o uso de tais recursos...”, afirma o início da 12ª edição do livro “Máfia Verde - O Ambientalismo a Serviço do Governo Mundial”, de Lorenzo Carrasco, Silvia Palacius e Geraldo Luís Lino, publicada em 2017.

    A argumentação é parecida com o que costumam defender o presidente Jair Bolsonaro, alguns de seus ministros e militares brasileiros, em falas que enfatizam a ameaça de “interesses externos” à Amazônia.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.