Ir direto ao conteúdo

Qual o jeito mais rápido de digitar no celular

Pesquisa analisou os hábitos de digitação de cerca de 37 mil voluntários de diferentes idades

     

    Digitar nos smartphones, especialmente em aplicativos de troca de mensagem, tornou-se rotina para boa parte das pessoas. O WhatsApp, principal app do tipo no país, por exemplo, virou ferramenta essencial de comunicação entre os brasileiros. Quem nunca disse a frase “mandar um zap”?

    Um estudo, publicado no início de outubro de 2019 e realizado por meio de uma parceria entre pesquisadores da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, da Universidade de Aalto, na Finlândia, e do Instituto de Tecnologia de Zurique, na Suíça, analisou os hábitos de digitação no celular de cerca 37 mil pessoas. Entre as conclusões do trabalho, está a forma mais rápida de realizar essa tarefa.

    Polegares: a chave para a velocidade

    Os polegares opositores são responsáveis por parte do êxito dos humanos ao longo da evolução. Milhares de anos depois da consolidação de nossa espécie, o Homo sapiens sapiens, eles se tornaram, também, essenciais para uma comunicação mais ágil nas tecnologias digitais.

    Os cientistas usaram uma ferramenta online e pediram para que os participantes transcrevessem um texto em inglês pré-determinado. 47% dos voluntários eram americanos. Os outros 53% vieram de outros 162 países.

    O teste propunha digitar o texto pré-determinado o mais rápido possível, com o menor número de erros.

    A pesquisa demonstrou que os participantes que usaram os polegares para digitar no celular conseguiram uma média de 38 palavras digitadas por minuto. Aqueles que usaram o indicador direito para digitar obtiveram média de 26,7 palavras por minuto, enquanto os que usaram o indicador esquerdo para a tarefa conseguiram uma média de 25 palavras por minuto.

    Os participantes, em média, deixaram apenas 2,34% dos erros sem correção. 55,6% deles foram causados por substituição de caracteres no processo de digitação.

    Dos 37 mil voluntários, 74% optaram por usar os dois polegares na digitação. Os outros 26% foram divididos entre os que usam os indicadores ou apenas um dos polegares.

    Outros recortes apontados pela pesquisa

    A questão da idade também apareceu. Foi notado que, entre os que usavam os polegares, os mais jovens, entre 10 e 19 anos, conseguiram uma média de 10 palavras por minuto a mais do que os participantes com mais de 40 anos.

    Outro dado notado pelos pesquisadores é de que a função de autocorretor, presente na maioria dos smartphones, ajuda na digitação mais rápida. Por outro lado, a ferramenta que sugere palavras para o usuário desacelerou o ritmo dos participantes. O artigo não chegou a uma conclusão para explicar esse fenômeno.

    Teste a sua velocidade de digitação

    Quer saber qual é a sua performance na digitação? Em computadores, é possível fazer isso no site Typing Test, de acesso gratuito. Nele, o usuário pode escolher o tema central das frases apresentadas no teste — há a possibilidade de se realizar o desafio com frases em inglês, português e outros idiomas. 

    Em smartphones, há dezenas de aplicativos disponíveis para se realizar os testes, tanto nas plataformas Android como nas que usam o sistema operacional iOS. Eles podem ser encontrados a partir da busca dos termos “typing test” nas lojas Google Play e App Store.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: