O estado do liberalismo de Macri, um mês após as primárias

Enquanto pesquisas apontam liderança da oposição na corrida eleitoral, presidente argentino abandona discurso de austeridade e toma medidas que contrariam seu plano de governo

     

    Um mês depois da realização das primárias da eleição presidencial, a Argentina passa por uma grave turbulência política e econômica.

    O pleito antecede as eleições, marcadas para 27 de outubro, e é visto como uma projeção realista do que pode vir a ser o primeiro turno.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.