Ir direto ao conteúdo

Este arquivo reúne 170.000 fotos da Grande Depressão nos EUA

Imagens organizadas em site da Universidade de Yale foram registradas pelo governo americano entre 1935 e 1945

 

O início do mês de setembro de 1929 marcou, nos Estados Unidos, uma intensa queda no valor de ações. Foi o início de um longo período que viria a ser conhecido como a Grande Depressão, que perdurou até o final da década de 1940 e atingiu diversos países ao redor do mundo.

Durante a depressão, o produto interno bruto global caiu cerca de 15%, com resultados devastadores especialmente para a população mais pobre. Lançado em 2014 pela Universidade de Yale, o site Photogrammar reúne 170 mil fotos tiradas no período.

Foto: Dorothea Lange
Trabalhador mexicano do Imperial Valley, na Califórnia, que disse 'trabalhei minha vida inteira e agora só o que tenho é meu corpo quebrado', 1935
Trabalhador mexicano do Imperial Valley, na Califórnia, que disse 'trabalhei minha vida inteira e agora só o que tenho é meu corpo quebrado', 1935
 

Elas foram registradas a partir de 1935, como parte de um projeto do Farm Security Administration, órgão governamental responsável por promover o desenvolvimento de áreas agrícolas.

A ideia do governo era usar as fotos da crise para aumentar o apoio ao New Deal, o programa implementado pelo governo de Franklin Delano Roosevelt para impulsionar a economia. O projeto fotográfico durou até 1945, e mobilizou alguns dos fotógrafos mais importantes dos Estados Unidos, como Dorothea Lange, Walter Evans e Arthur Rothstein.

 

No site de Yale, as imagens são organizadas em um mapa interativo, em que cada estado é subdividido em suas unidades administrativas. Clicando nelas, é possível observar as fotos que foram tiradas na região durante o projeto.

Assim como imagens de desempregados ou pessoas trabalhando em obras públicas, há registros prosaicos da vida interiorana nos Estados Unidos, de famílias, salas de estar, fachadas de casa, e estabelecimentos comerciais de vários tipos. É possível fazer buscas por termos, localização, tags, lote das fotografias e nome do fotógrafo.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!