O impacto da escolha de Bolsonaro para a Procuradoria-Geral

A pedido do ‘Nexo’, dois cientistas políticos analisam a relação de Augusto Aras com o presidente, a Lava Jato e temas como meio ambiente

     

    Criticado por parte de seus próprios apoiadores por ter indicado o nome do subprocurador Augusto Aras para o posto de procurador-geral da República, o presidente Jair Bolsonaro precisou justificar sua decisão na quinta-feira (5). Ele atribuiu a escolha ao alinhamento com Aras em questões como meio ambiente, minorias e corrupção. “A gente buscou uma pessoa que fosse nota sete em tudo, não dez numa coisa e dois em outra”, afirmou em transmissão ao vivo em sua conta no Facebook.

    O presidente reclamou de estar sendo “esculhambado” por seus eleitores nas redes sociais e pediu para que as críticas fossem apagadas. Um grupo de bolsonaristas tem associado Aras à esquerda.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.