O efeito da falta de dinheiro na vida amorosa dos millennials

Pesquisa realizada nos Estados Unidos demonstrou que cerca de 30% dos jovens se sentem inseguros ao buscar uma nova relação por motivos financeiros

     

    A geração millennial (ou geração Y) compreende aquelas pessoas nascidas entre 1981 e 1996, nas duas décadas finais do primeiro milênio.

    Uma nova pesquisa sobre esse público, divulgada pelo site de relacionamentos Match, mostra que 29,4% dos millennials dos Estados Unidos não se sentem prontos para buscar uma nova relação amorosa em razão de suas situações financeiras.

    Ao todo, a pesquisa coletou dados de 5.000 indivíduos solteiros dos EUA por meio de um questionário online. Desses, 2.113 são parte da geração millennial.

    A busca por alguma estabilidade

    A pesquisa propôs a pergunta “A sua situação financeira já te impediu a buscar um amor?”, que teve 1.471 respostas positivas entre os millennials.

    Em entrevista ao site USA Today, Helen Fisher, doutora em antropologia pela Universidade de Indiana, afirmou que a geração millennial teme embarcar em relacionamentos que podem ser difíceis de se administrar financeiramente ou emocionalmente.

    “Dois terços das pessoas com vinte e poucos anos ainda moram na casa dos pais, não por serem preguiçosos, mas por estarem economizando. Eles realmente acreditam que precisam ter estabilidade na carreira e nas finanças antes de se casarem”, disse Fisher ao jornal americano.

    Segundo uma pesquisa feita pela empresa de consultoria e auditoria Deloitte em 2017, os millennials definem estabilidade financeira como a capacidade de pagar todas as contas mensalmente. Já a estabilidade de carreira é vista como empregos de maior duração contratual. Os resultados foram na contramão da ideia que se tinha de que a geração Y não desejava qualquer tipo de estabilidade.

    Fisher também apontou que a construção dos relacionamentos mudou ao longo dos anos e que sair com alguém se tornou mais caro. “Na minha época nós íamos jogar minigolfe, íamos ao fast-food e andávamos por aí de carro. Ou então encontrávamos pessoas no parque para conversar e beber cerveja. Namorar não era caro”, afirmou.

    A pesquisa do Match é realizada anualmente. Na edição de 2018, o site demonstrou que um encontro padrão nos EUA — dois jantares, duas garrafas de vinho e dois ingressos para o cinema — custa em média US$ 102.

    As dívidas estudantis e o preço da moradia

    Segundo a CNN, dívidas estudantis e aumento nos custos de moradia são razões para que a geração millennial não se sinta segura financeiramente para buscar novos relacionamentos.

    Uma reportagem publicada pela revista Forbes em fevereiro de 2019 apontou que 44,7 milhões de americanos possuem dívidas relacionadas a empréstimos feitos para o financiamento de educação superior, o equivalente a cerca de 27% da população economicamente ativa dos EUA.

    Uma pesquisa publicada pelo site GoBankingRates, que compara as mais diversas taxas bancárias nos EUA, mostrou que os custos de moradia no país aumentaram 14% entre 2015 e 2018.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: