Ir direto ao conteúdo

Por que esta editora transforma tuítes em livros

Projeto reúne meses de postagens na rede social de qualquer usuário em calhamaços de 600 páginas. Donald Trump foi o primeiro

                                       

    Criada pelo designer gráfico Jaap Smit e pelo programador e artista Darien Brito, baseados em Haia, na Holanda, a editora Odd Publications converte as informações efêmeras do meio digital em “objetos tangíveis no formato impresso”, de acordo com a descrição de seu site.

    Seu projeto mais recente, de 2019, “A Tweet History” (Uma história em tuítes, em tradução livre) transforma em livro o equivalente a dois meses de tuítes de um usuário. O resultado é um volume de cerca de 600 páginas.

    Ainda segundo o site da Odd Publications, suas edições buscam repensar nossa relação com a informação online e construir novos significados para ela.

    Smit e Brito escolheram o perfil no Twitter do presidente americano Donald Trump como piloto do projeto. Usuários da rede social podem encomendar seu próprio livro, em edição impressa ou pdf, feito sob demanda pela editora.

     

    Ao clicar no botão “order here” (peça aqui), o site da editora redireciona para uma página que solicita autorização para a “leitura” da timeline do usuário por meio uma ferramenta.

    Ao site americano It’s Nice That, a dupla justificou a escolha da conta de Trump por sua atividade frequente e a “natureza escandalosa” de seus tuítes. Materializar em uma edição impressa os comentários online do presidente americano, para eles, funciona como um lembrete permanente “do absurdo na atual cena política, não só nos Estados Unidos como ao redor do mundo”.

     

    Trump exemplifica perfeitamente a teoria dos criadores da editora de que, colocado em outro contexto, o conteúdo do que postamos online ganha um peso diferente. A ideia é que tornar os tuítes tangíveis dá a  oportunidade de revê-los e de refletir sobre eles.

    “Explore o que acontece quando um conteúdo efêmero por natureza é preservado na forma impressa. Este livro é, ao mesmo tempo, um arquivo e uma ironia; um objeto que rapidamente se torna obsoleto, tendo em conta a velocidade exponencial na qual conteúdo online é gerado todos os dias mas também um artefato que está sempre lá para lembrar você de sua breve passagem por essa imensa enxurrada de informação”, diz o site da Odd Publications.

     

    Uma outra amostra de “A Tweet History” disponível no site da editora compila os posts da jovem ativista sueca Greta Thunberg, que liderou em 2019 uma greve pelo combate das mudanças climáticas.

    A função do projeto gráfico

    A Odd Publications não só imprime os tuítes como faz uso de alguns elementos gráficos para transpor o formato digital para a página.

    A tipografia é uma delas: a fonte sem serifa (sem traço no fim da haste das letras) da rede social é trocada por uma fonte serifada (como a que usamos aqui no Nexo), o que segundo os editores, já dá outra sensação para a leitura.

    Hashtags são colocadas em itálico e sem o símbolo #, enquanto emojis são descritos textualmente, em vez de incorporados à página. A imagem de um coração, por exemplo, é substituída por “um coração vermelho”. São detalhes que adaptam os tuítes à linguagem dos livros, contribuindo para que sejam lidos de outra forma.

     

    A popularidade de cada tuíte inscrito na página é sinalizada por uma linha que, quanto mais alta, indica um número maior de retuítes e likes.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: