A invasão da aldeia no Amapá. E o assassinato do líder indígena

Morte de cacique da comunidade Wajãpi ocorreu em terra com histórico de garimpo ilegal. Presidência da República articula ações para viabilizar a mineração em terras indígenas

 

O cacique Emyra Wajãpi, líder da etnia Wajãpi, foi morto a facadas no começo da semana iniciada em 22 de julho de 2019, no Amapá, segundo nota do Conselho das Aldeias Wajãpi. As informações chegaram a veículos de imprensa apenas no sábado (27).

De acordo com lideranças da aldeia e funcionários da Secretaria Extraordinária dos Povos Indígenas do Amapá consultados por O Estado de S. Paulo, o líder foi atacado enquanto voltava da casa da filha, próximo à aldeia Waseity, em que Emyra vivia. Seu corpo foi encontrado dentro de um rio.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.