Ir direto ao conteúdo

O que é o projeto Comprova. E como é sua segunda fase

Após primeira etapa de checagens nas eleições de 2018, consórcio do qual o ‘Nexo’ faz parte foca em políticas públicas. No total, 24 veículos concorrentes trabalham em colaboração

     

    A partir deste sábado (20), o Nexo passa a publicar semanalmente checagens produzidas na segunda fase do Comprova, coalizão de 24 veículos jornalísticos, entre eles o próprio Nexo. O foco em 2019 será analisar e combater a desinformação referentes a políticas públicas em debate no governo federal e no Congresso.

    Maior projeto colaborativo da imprensa brasileira, o Comprova tem como objetivo verificar declarações, especulações e rumores — em textos, vídeos, imagens e gráficos — que ganham projeção na internet, na tentativa de desmentir informações enganosas e enfraquecer sua disseminação em sites, aplicativos de mensagens e redes sociais.

    A iniciativa foi lançada em 2018, com o objetivo de combater a desinformação durante a eleição presidencial. Entre agosto e outubro daquele ano, mais de 140 verificações foram produzidas por jornalistas também de 24 veículos, entre os quais o Nexo. A segunda fase do projeto deve durar de julho a dezembro de 2019.

    79,6%

    das pessoas que acessaram as verificações do Comprova durante a campanha eleitoral de 2018 consideraram o conteúdo confiável, segundo pesquisa feita com leitores após a primeira fase do projeto

    Como em 2018, os leitores podem participar do Comprova enviando conteúdo duvidoso para o WhatsApp do projeto: (11) 97795-0022. São aceitos áudios, vídeos, imagens ou correntes que circulam pelo aplicativo ou por redes sociais, como o Facebook e o Twitter. Na medida do possível, as mensagens serão checadas e respondidas. Em 2018, o Comprova recebeu mais de 67 mil sugestões de material pelo número.

    A segunda fase do Comprova tem coordenação da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) e do First Draft, entidade que desenvolve estratégias de combate à desinformação. Iniciativas como o Comprova foram criadas pela organização em países como França, Reino Unido e Nigéria. A segunda fase do projeto brasileiro representa a primeira vez em que um dos países faz checagens fora do período de eleições.

    “As informações falsas não acabam no dia da eleição. [...] Todos têm que se reunir e lutar contra esse problema”

    Claire Wardle

    diretora do First Draft, em declaração durante evento de lançamento da segunda fase do Comprova, em 27 de junho de 2019

    Além do Nexo, estão na segunda fase do Comprova AFP, Band, BandNews, Band.com.br, Canal Futura, Correio do Povo, Exame, Folha de S.Paulo, GaúchaZH, Gazeta Online, Jornal do Commercio, Jornal Correio, Metro Brasil, Nova Escola, NSC Comunicação, O Estado de S. Paulo, O Povo, Poder360, revista piauí, Rádio BandNews FM, Rádio Bandeirantes, SBT e UOL.

    A publicação de todas as checagens do projeto ocorre após ao menos três desses 24 integrantes concordarem sobre a falsidade ou veracidade da informação em questão, sob a supervisão de editores do Comprova. Tanto o site oficial da iniciativa quanto as plataformas dos veículos participantes, como o Nexo, divulgarão os conteúdos.

    O Comprova tem patrocínio do Google News Initiative, do Facebook Journalism Project e do WhatsApp. Além da verificação de fatos, a iniciativa deve promover ações educativas, como a difusão de cursos online sobre o combate à desinformação nas redes sociais.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: