Novos estudos: por que o Alzheimer é mais comum entre mulheres

Pesquisas apresentadas durante conferência internacional em julho de 2019 tratam das diferenças que aumentam o risco e a progressão da doença entre elas

Mais frequente entre pessoas acima dos 60 anos de idade, a doença de Alzheimer afeta mais mulheres do que homens. Além do risco maior de que elas a desenvolvam a condição, essa doença – que causa perda de funções cognitivas, como memória, atenção e linguagem – também parece avançar mais rapidamente em pessoas do sexo feminino.

Segundo a edição de 2017 do estudo Global Burden Disease, entre os casos de Alzheimer no Brasil, 59,2% estão presentes em mulheres e 40,8% em homens. Nos Estados Unidos 63,1% dos casos são verificados em mulheres e 36,9% em homens.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.