Ir direto ao conteúdo

Esta pode ser a única gravação da voz de Frida Kahlo

Mais de 64 anos após a morte da artista, a ministra mexicana da Cultura, Alejandra Fausto, anunciou que foi encontrado um arquivo de áudio com duração de 90 segundos que pode ser da voz de Frida Kahlo

 

A mexicana Frida Kahlo morreu em 1954, após contrair uma forte pneumonia, entrando para a história como uma das maiores artistas do século 20.

Seu estilo mescla elementos de arte popular e surrealismo, pelos quais aborda temas como gênero e colonialismo.

Mais de 64 anos após sua morte, a ministra mexicana da Cultura, Alejandra Fausto, anunciou que foi encontrado um arquivo de áudio com duração de 90 segundos. Esse pode ser o único registro existente da voz da artista.

O áudio foi encontrado na coleção de Álvaro Gálvez y Fuentes, mais conhecido como El Bachiller, um radialista mexicano famoso entre as décadas de 1940 e 1950. A veracidade do registro ainda está sendo avaliada por técnicos do governo.

Acredita-se que o áudio tenha sido gravado entre 1953 e 1954, em um dos programas do radialista para a emissora XEW, do conglomerado de mídia Televisa. Nele, é possível ouvir Kahlo lendo um texto que escreveu em comemoração aos 50 anos da carreira artística de seu parceiro, Diego Rivera.

Nele, Frida faz uma longa descrição de Rivera, em um texto chamado “Retrato de Diego”, que escreveu em 1949.

"Com sua cabeça asiática, no qual nasce um cabelo escuro, tão fino que parece flutuar no ar, é uma criança grande, imensa, com um rosto gentil e um olhar triste. Seus olhos altos, obscuros, inteligentíssimo e grandes”

Frida Kahlo

No texto ‘Retrato de Diego’, de 1949

Ouça abaixo a íntegra do áudio:

 

 

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Mais recentes

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!