Ir direto ao conteúdo

Esta é considerada a primeira animação já produzida

O francês Émile Cohl entrou para a história ao criar o primeiro desenho animado, "Fantasmagorie”, uma obra nonsense de pouco menos de 2 minutos

     

    Nascido no final do século 19, o francês Émile Cohl foi um caricaturista, jornalista, fotógrafo e cenografista. Seu nome entrou na história, no entanto, porque ele criou aquele que é considerado o primeiro desenho animado da história: “Fantasmagorie” (“fantasmagoria”, em português), de 1908.

    Fantasmagorie é o nome de um tipo de teatro de terror que projetava imagens assustadoras, como esqueletos e fantasmas, na parede. Ele era feito a partir de projeções em um equipamento chamado “lanterna mágica”, que fazia com que imagens passassem a impressão de que estavam se movendo.

    Na época em que produziu o seu “Fantasmagorie”, Cohl tinha mais de 50 anos, e vinha trabalhando na produtora de filmes Cinéma Pathé Gaumont. O curta tem pouco menos do que 2 minutos, e é composto por 700 desenhos, fotografados pelo próprio Cohl.

     

    Um artigo publicado em 13 de maio de 2019 no site Open Culture resgata o filme, e informa que ele se inspira no espírito do Movimento Incoerente. Pouco expressivo, o movimento propunha a criação de obras que eram propositalmente irracionais, nonsense e iconoclásticas, o que faz com que alguns o considerem um precursor do surrealismo.

    “Fantasmagorie”, de Émile Cohl, segue esse espírito. Trata-se de uma história de um personagem que chega a um cinema e se senta atrás de uma mulher com um grande chapéu, com o qual interage, até que, em dado momento, parece surgir debaixo dele e engolir a si mesmo, dando início a uma nova sequência de fatos sem sentido.

    Um artigo publicado em agosto de 2018 no site Artlark, que reúne artigos de estudiosos da história da arte, resgata uma citação do livro “Emile Cohl, Caricatura, e Filme”, em que Donald Crafton descreve a imensa tarefa de realizar a obra sozinho naquela época.

    “Fantasmagoria foi a tarefa mais exigente que Cohl jamais tentara como artista até então. Primeiro, ele fez um desenho em um papel branco com tinta preta. Depois, ele passou esse desenho para uma segunda folha, não mudando nada no contorno, a não ser por uma pequena alteração que posteriormente seria vista como movimento. Por fim, centenas de desenhos foram feitos dessa maneira, depois fotografados em sequência. O resultado foi impresso em negativo, levando ao final à ilusão produzida pelas linhas brancas se movendo sobre o preto. No início e no final, as mãos do próprio Cohl aparecem”

    Donald Crafton

    Historiador da arte, no livro "Emile Cohl, Caricatura, e Filme", resgatado em artigo de agosto de 2018 do site Artlark

    ESTAVA ERRADO:  A primeira versão deste texto afirmava que “Fantasmagorie” era de 1907. Na verdade, é de 1908. A informação foi corrigida às 17h03 de 16 de maio de 2019.

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: