O elo partido entre ciência e tecnologia no Brasil

O caminho entre pesquisa e inovação é longo e não linear, com descompassos entre academia e mercado. Mas é essencial para o desenvolvimento do país

 

No quinto mês de governo, o presidente Jair Bolsonaro consolidou medidas que provocam impactos indiretos e diretos em um setor estratégico para o desenvolvimento do país: a produção científica.

Em março de 2019, o governo contingenciou R$ 5,8 bilhões dos orçamentos do Ministério da Educação e R$ 2,1 bilhões do Ministério da Ciência; em abril, criticou as ciências humanas e bloqueou cerca de 30% das dotações orçamentárias das universidades e institutos federais; em maio, congelou milhares de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.