O que Bolsonaro alterou na Política Nacional sobre Drogas

Por decreto, presidente retirou menção a políticas de redução de danos e ressaltou políticas que pregam abstinência, com mais transferência de recursos às 'comunidades terapêuticas', em geral controladas por grupos religiosos

 

No dia 11 de abril de 2019, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que estabelece uma nova Pnad (Política Nacional sobre Drogas). Ele revoga o documento anterior, assinado em 2002 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Entre outras medidas, a nova política prevê a adoção de um modelo de tratamento de usuários de drogas cuja meta é torná-los abstêmios, sem previsão de alternativas como a redução de danos.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.