Os efeitos para a população da ode de Bolsonaro à ditadura

Presidente defende que Forças Armadas comemorem aniversário do golpe de 1964. O ‘Nexo’ ouviu dois professores sobre o fato desse incentivo partir da maior autoridade do país

    Jair Bolsonaro construiu sua carreira política defendendo, no discurso e na atuação parlamentar, assuntos de interesse das Forças Armadas. Capitão reformado, ele foi militar da ativa do Exército nos anos 1970 e 1980.

    Em 1991, começou sua passagem de sete mandatos consecutivos pela Câmara dos Deputados. Como parlamentar, em várias ocasiões defendeu publicamente a ditadura militar brasileira (1964-1985), os presidentes generais do período, marcado por autoritarismo e perseguição de adversários políticos, e a tortura.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.