O que o Brasil ganha e perde cedendo na OMC para entrar na OCDE

Acordo anunciado durante visita de Bolsonaro a Washington prevê que país perca privilégios na organização comercial em troca de apoio de Trump para ingresso no clube das economias desenvolvidas

 

Uma das principais decisões tomadas na visita do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos foi o acordo firmado com o governo de Donald Trump para facilitar a entrada do Brasil na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Em troca, o governo brasileiro indicou que aceita abrir mão do status de país em desenvolvimento, que lhe dá direito a alguns benefícios em outro organismo internacional, a OMC (Organização Mundial do Comércio).

 

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.