As demissões no MEC. E a disputa interna no governo

Ministério da Educação é palco de embate entre ex-alunos de escritor Olavo de Carvalho, militares e técnicos, em meio a exonerações e remanejamentos de funcionários

     

    Com pouco mais de três meses de governo Jair Bolsonaro, o Ministério da Educação passa por mudanças em seus quadros. Os remanejamentos de funcionários e as demissões em cargos importantes na estrutura da área têm acontecido desde o Carnaval. Eles se devem a disputas internas entre dois grupos que integram a pasta:

    • Os ex-alunos do escritor Olavo de Carvalho, considerado guru do presidente da República e responsável pela indicação do atual ministro da Educação
    • Os militares e os técnicos saídos do Centro Paula Souza, uma autarquia do governo paulista que administra escolas técnicas e faculdades de tecnologia

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.