Quem é Gustavo Bebianno, pivô da crise do governo Bolsonaro

Importante na campanha e escolhido para um dos ministérios mais próximos da Presidência, o advogado tornou-se desafeto e um problema institucional após ser associado a esquema de candidaturas laranjas

     

    Na quarta-feira (13), Gustavo Bebianno deixou de registrar compromissos oficiais em sua agenda pública na Secretaria-Geral da Presidência. Foi o dia em que veio a público a briga entre ele e a família Bolsonaro, tema que passou a dominar a rotina do titular de um ministério que funciona dentro do Palácio do Planalto, alguém que foi peça-chave na campanha de Jair Bolsonaro em 2018.

    Bebianno e outros quadros do PSL, entre eles o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foram citados em reportagens do jornal Folha de S.Paulo que apontam suspeitas de lançamento de candidaturas laranjas para uso indevido de dinheiro do fundo público eleitoral, em Pernambuco e em Minas.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.