Ir direto ao conteúdo

O jogo Mario Bros desenhado e animado em stop motion

Artista japonês recria primeira fase de game lançado em 1985 esboçando personagens em dois cadernos. Hutae Kisaragi levou 14 horas para montar vídeo de 52 segundos

    Temas
     

    Em 1985, o jogo Super Mario Bros, da Nintendo, começava com a fase “World 1-1”. Nela, o encanador italiano Mario, personagem criado em 1980 pelo designer japonês e desenvolvedor de jogos eletrônicos Shigeru Miyamoto, tinha que bater a cabeça em cubos com pontos de interrogação para recolher cogumelos, flores e estrelas e saltar sobre criaturas inimigas chamadas Goombas.

    Foi essa fase que o japonês Hutae Kisaragi decidiu recriar e animar em stop motion (técnica que usa uma sequência de fotos ou imagens), utilizando-se de dois cadernos. Nas primeiras duas semanas do projeto, ele desenhou todo o cenário de fundo do jogo. Levou mais uma semana para fazer os objetos em movimento. E 14 horas para filmar um vídeo que tem apenas 52 segundos, mas que começou a ganhar popularidade desde que foi publicado no YouTube, no sábado (9).

     

    Sobre os bastidores de “Paper Mario Bros in my notebook” (Mario Bros de papel no meu caderno, em tradução livre), o artista publicou algumas fotos em sua conta no Twitter, que mostram os Goombas amassados (e picotados) após serem pisoteados por Mario, e o personagem principal do game nos tamanhos pequeno e grande (antes e depois de pegar o cogumelo). As fotos também revelam como foram feitas as bolas de fogo que são atiradas pelo encanador para matar seus inimigos.

     

    A publicação no Twitter do vídeo com a animação teve, até esta terça-feira (12), 226 mil curtidas e 84 mil retuítes. Em sua conta no YouTube, Hutae Kisaragi publicou outras animações em stop motion de pokémons e do jogo Pac-Man. 

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: