O desastre de Brumadinho e o discurso de Bolsonaro

Tragédia provocada pelo rompimento de barragens em Minas mostra limites de propostas defendidas pelo governo nas áreas ambiental, trabalhista e judicial

     

    A poucos dias de completar um mês na Presidência da República, Jair Bolsonaro tem no desastre de Brumadinho um dos episódios de maior impacto neste seu início de mandato, que põe em xeque seu discurso público de desregulamentação do setor privado e restrição das ações de fiscalização ambiental adotado até então.

    Na sexta-feira (25), barragens da mina do córrego do Feijão, de propriedade da empresa Vale, se romperam na cidade que fica a 60 km de Belo Horizonte. Segundo o Corpo de Bombeiros, foram três barragens rompidas. As causas estão sob investigação.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.