Ir direto ao conteúdo

O blog que reúne fitas demo do rock brasileiro

Local reúne centenas de gravações raras em fitas cassete disponíveis para download, incluindo registros iniciais de bandas como Los Hermanos e CPM 22

    Temas
     

    Antes da internet, a fita demo era uma ferramenta essencial para a divulgação de um novo artista. Inicialmente em cassete, depois em CD, o cartão de visitas sonoro muitas vezes reunia gravações de qualidade precária, feitas em estúdios amadores. Se a banda tivesse sucesso, entretanto, cresciam em valor histórico.

    O blog Demo-Tapes Brasil nasceu em 2011 com o objetivo de preservar um pouco dessa história. Criado pelo músico Edson Luís Souza, de Joinville (SC), ele reúne registros principalmente das décadas de 1980 e 1990. Em texto no blog, Souza descreve o que considera uma “sensação de abandono” em relação às gravações iniciais de muitas bandas no rock brasileiro.

     

    “Não sei se é descaso das pessoas que tinham as bandas, se é falta de equipamento, se é falta de conhecimento de como fazer uma conversão ou sei lá. Só acho muito estranho quando alguém que tinha uma banda não tem nada dela guardado” afirmou.

    Em alguns anos, o blog contava com centenas de demos, incluindo gravações de artistas posteriormente famosos, como Los Hermanos, CPM-22 e Maskavo Roots. Outros são de bandas pouco conhecidas, mas de onde saíram músicos que depois fizeram sucesso. É o caso dos Funk Fuckers, de onde saiu o rapper B-Negão. Na época da demo, ele assinava como Bernardão Erótico.

    O acervo do blog começa em 1981 e vai até os anos 2000, mas a maior parte do material é da década de 1990. É possível baixar os áudios das fitas demo gratuitamente. Há uma enorme variedade de estilos, de blues a música eletrônica, mas o rock é predominante.

    Foto: Reprodução
    los hermanos
    Capa de fita demo dos Los Hermanos, de 1998
     

    No blog, Souza explica que a qualidade de muitas das gravações soará inferior para os padrões atuais. É comum a fita cassete sobreviver mal ao tempo, causando degradação no áudio. “São fatores como umidade (bolor), frio, calor, campos magnéticos, poeira, fumaça (tudo o que tem na nossa casa!) são prejudiciais a vida útil das fitas”, afirmou.

    Ele também pondera a respeito das condições disponíveis para os músicos na hora de gravar seu trabalho: “estúdios eram caríssimos, os computadores eram limitados, CDs não existiam (para os mortais) e o mp3, menos ainda. Hoje qualquer músico grava em casa, em multipista e 100% digital. Som analógico hoje é opção e não imposição”.

    No blog, além do áudio da fita demo, Souza inclui imagem da capa (algumas muito criativas), informações do conteúdo, do artista e links para saber mais.

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Mais recentes

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!