O que são cargos comissionados e quais seus riscos à gestão pública

Vagas de confiança preenchidas sem a exigência de concurso são campo sensível na administração federal. Jair Bolsonaro prometeu reduzi-las durante seu mandato

     

    Antes de assumir a Presidência, Jair Bolsonaro colocava como parte do seu plano de reformulação administrativa um corte de “no mínimo 30%” do número de cargos comissionados. A medida incluiria, além dos órgãos diretos do Executivo, estatais e bancos públicos.

    Os planos administrativos de Bolsonaro partem de dois princípios. De um lado, diminuir o tamanho da máquina pública. De outro, reduzir a influência política em órgãos federais. A redução de 29 para 22 ministérios e a promessa de nomear somente técnicos dialogam com essas intenções.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.