Ir direto ao conteúdo

Qual o tamanho dos bancos públicos no mercado de crédito

Ministro da Economia quer que instituições financeiras como Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal devolvam recursos ao governo e vendam partes de sua estrutura

     

    Ao dar posse, na segunda-feira (7), aos novos presidentes dos três principais bancos públicos nacionais, o governo do presidente Jair Bolsonaro indicou que vai diminuir o tamanho de Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

     

    A ideia é que os três bancos vendam empresas subsidiárias e devolvam ao Tesouro Nacional recursos públicos que estão sendo usados para fornecer crédito.  A consequência dessas operações seria a diminuição do volume de recursos disponíveis para empréstimos nas mãos dos bancos públicos e também a diminuição de sua participação no mercado bancário.

     

    Em seu discurso, o ministro da Economia, Paulo Guedes criticou a política dos governos do PT (com Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, entre 2003 e 2016) de incentivo ao crédito nos bancos públicos. Além de levantar suspeitas sobre a correção das operações, ele argumentou que esse tipo de incentivo ao crédito público gera distorções no mercado inteiro.

    “Nós, economistas liberais, não gostamos disso. Achamos que isso distorce a economia, a rentabilidade do capital, distorce a alocação de investimento, derruba a taxa de crescimento, transfere renda perversamente”

    Paulo Guedes

    Ministro da Economia

    Nas palavras de Guedes, “o mercado brasileiro de crédito também está estatizado e também sofreu intervenções que foram extremamente danosas”. Para ele, quando os bancos públicos oferecem um volume de crédito maior que o natural, seguindo incentivos políticos, eles geram distorções no mercado, a concorrência fica prejudicada.

    O quadro se agrava, na visão do ministro, quando o crédito é subsidiado, com juros abaixo do cobrado. Quando o governo direciona parte dos recursos para determinadas atividades com taxas mais baixas, reduz o total disponível. Assim, sobra menos para o resto da economia e os juros gerais ficam ainda mais altos,

    Os bancos públicos têm papel importante no fornecimento de crédito no Brasil, papel que ficou ainda maior durante os governos do PT.

    A Caixa Econômica Federal, por exemplo, historicamente é a líder em financiamento imobiliário. O Banco do Brasil, por sua vez, é o principal financiador da agricultura no país.

    Em gráficos, o Nexo mostra a participação dos bancos públicos em diversos segmentos do mercado. Os dados mais recentes disponibilizados pelo Banco Central são de 2017.

    A comparação é entre Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e os três principais bancos privados do país: Bradesco, Itaú e Santander.

     
     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Mais recentes

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!