Como o governo Bolsonaro trata a política LGBTI até aqui

Ministra dá declarações contra o que chama de ‘ideologia de gênero’, dizendo que ‘menino veste azul e menina veste rosa’. Ausência de referência a políticas para população LGBTI em medida provisória não é exclusividade do governo Bolsonaro

     

    Em seu primeiro dia no cargo de presidente, Jair Bolsonaro expediu uma medida provisória que reorganiza a estrutura dos ministérios e dos órgãos da Presidência da República. Entre outros pontos, o presidente criou o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, que assume atribuições que eram do Ministério dos Direitos Humanos.

    A medida explicita que é competência da pasta promover políticas e diretrizes destinadas à promoção dos direitos humanos de minorias como: mulheres, crianças e adolescentes, idosos, pessoas com deficiência, população negra. Cada um desses temas ganha uma secretaria específica.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.