Por que este historiador se diz censurado pelo Itamaraty

Autor de manual para candidatos a diplomatas diz que teve obra recolhida por questões políticas. Governo se recusa a comentar o caso

     

    A Funag (Fundação Alexandre de Gusmão), vinculada ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil, retirou de seu site na internet, no dia 3 de dezembro de 2018, um livro chamado “Manual do Candidato: História do Brasil”, do historiador João Daniel Lima de Almeida.

    A publicação se referia ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, como alguém que “se orgulha da homofobia”. Bolsonaro disse isso algumas vezes ao longo de seus 28 anos de carreira política. Em 2013, por exemplo, em entrevista a uma emissora de televisão, ele foi claro: “eu tenho imunidade para falar que sou homofóbico, sim, com muito orgulho, se é para defender as crianças nas escolas”.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.