Qual o perfil do médico brasileiro, segundo este estudo

Relatório mostra que mais da metade dos profissionais atua nas capitais e que país enfrenta uma barreira para a interiorização difícil de ser superada sem os cubanos

 

O governo de Cuba decidiu encerrar sua participação no Programa Mais Médicos, em resposta aos questionamentos do presidente eleito, Jair Bolsonaro. O anúncio foi feito em 14 de novembro de 2018. Bolsonaro havia afirmado que o governo brasileiro passaria a exigir dos cubanos a revalidação do diploma no Brasil e a contratação individual dos profissionais, o que não foi aceito.

“Condicionamos a continuidade do programa Mais Médicos à aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou”, escreveu Bolsonaro em sua conta no Twitter.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.