Ir direto ao conteúdo

Este site reúne fitas difíceis de encontrar fora da África

Site Awesome Tapes From Africa foi criado por Brian Shimkovitz, um ex-estudante de etnomusicologia

 

O americano Brian Shimkovitz era um jovem estudante de etnomusicologia na Universidade de Indiana, em 2001, quando uma bolsa de estudos permitiu que viajasse para Gana. Lá, ficou fascinado pela cultura de difusão de música por meio de fitas cassete.

Ele passou a coletar fitas nos mercados da cidade de Accra, e manteve esse hobby nos anos seguintes. Em 2006, lançou um blog chamado “Awesome Tapes from Africa”, ou “Fitas incríveis da África” em uma tradução livre, como forma de difundir o conteúdo que encontrava.

Em 2011, lançou uma gravadora de mesmo nome, que passou a se dedicar a relançar artistas com carreiras paradas, ou então a apresentar em novos mercados artistas pouco conhecidos fora da África.

Entre os artistas que iniciaram carreiras internacionais a partir do site estão o rapper Ata Kak, de Gana, e o DJ Katapila. Em entrevista concedida em janeiro de 2018 ao jornal The Irish Times, Shimkovitz admitiu que, por ser branco e gerir uma gravadora baseada quase que exclusivamente no trabalho de negros, tem que se defender de críticas.

“Eu sei que uma certa porcentagem de pessoas nunca achará que não tem problema o que eu estou fazendo aqui, e essa é a natureza do mundo em que vivemos. Mas eu tenho bons relacionamentos com todos os artistas com quem trabalho, e todo mundo está indo bem, então eu acho que o projeto no geral contribui para aumentar o mercado por música africana pela qual as pessoas pagam”

Brian Shimkovitz

Dono do site e do selo Awesome Tapes from Africa, ao jornal The Irish Times

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Continue sua leitura

Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: