A disparidade de gênero no mapa das cidades latinas

Grupo formado por mulheres voluntárias lança projeto que identifica logradouros e incentiva uma maior participação feminina na geografia dos países

     

    Um site desenvolvido por um grupo de voluntários do mundo todo, o OpenStreetMap, mapeia e atualiza dados sobre estradas, trilhas, cafés e estações ferroviárias, por exemplo, em diferentes cidades do mundo. O acesso ao site é gratuito. Fundado em 2004, o OpenStreetMap realiza desde 2007 uma conferência anual, o “State of Map”, para que os mapeadores voluntários se encontrem, com palestras, painéis e workshops.

    Uma versão latina da conferência teve sua primeira edição em 2015 e, em novembro de 2016, quando São Paulo sediou o evento, o grupo resolveu falar sobre a diferença entre os gêneros na própria comunidade de voluntários da OpenStreetMap: estima-se que só 3% dos colaboradores sejam mulheres. Em busca de aumentar esse número e trazer mais mulheres para a rede, foi criado o Geochicas.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.