Ir direto ao conteúdo

Esta artista ‘fotografou o vento’ de uma região da França

Rachel Cobb capturou em imagens o vento Mistral, que sopra na região da Provença, sul do país europeu

    Temas
     

    Com lançamento marcado para novembro de 2018, o livro “Mistral: The Legendary Wind of Provence” (“Mistral: o vento lendário da Provença”), projeto da fotojornalista Rachel Cobb, é um registro do invisível. Reúne imagens que fazem um retrato da Provença, no sul da França, através do vento Mistral.

    Seco e frio, ele empurra o ar das encostas dos Alpes pelos vales fluviais, como o Vale do Rhône, em direção à costa: as cidades litorâneas de Marselha e Saint-Tropez são algumas das mais severamente atingidas. O Mistral é responsável pelo céu limpo e clima ensolarado da região. 

    Com cor, intensidade e movimento, as fotografias registram a ação do vento em paisagens naturais, nos cabelos, na roupa e nas expressões das pessoas.

    Em sua introdução ao livro, o jornalista americano Bill Buford afirma gostar de todas as fotos de Cobb nele presentes por serem capazes de fazer sentir o vento. “Minhas favoritas parecem imitar sua força, sua desordem desfocada de cores primárias”, escreveu.

    “Viver ao vento requer atos físicos de paciência, resistência, coragem, criatividade e, algumas vezes, resignação. Todos esses temas perpassam as páginas do livro”, escreveu o professor e escritor W. Scott Olsen em uma resenha do livro para a revista de fotografia LensCulture.

    Após anos no encalço do vento Mistral, Cobb se familiarizou com seus ritmos e efeitos, percebendo não se tratar apenas de um fenômeno meteorológico, mas de um componente essencial da vida provençal.

     

    A arquitetura da região e a disposição das lavouras, por exemplo, precisaram se ajustar aos efeitos do vento. Algumas casas possuem poucas ou nenhuma janela no lado onde o vento sopra e pedras pesadas seguram as telhas. Fileiras de árvores alinhadas às plantações funcionam como quebra-ventos.

    O livro também conta com pequenos textos que falam do vento ou da região da Provença. Há ainda um ensaio de Rachel Cobb ao fim do livro, no qual ela justifica seu interesse no projeto.

    As páginas finais contêm miniaturas legendadas das fotografias, uma descrição da Escala de Beaufort, que classifica a intensidade dos ventos no mundo, e um mapa da França com os padrões do vento.

    Sobre a fotógrafa

    Baseada em Nova York, Rachel Cobb tem uma carreira de 25 anos no fotojornalismo. Fotografou nos EUA e no exterior, incluindo conflitos no Iraque e no Kosovo, para publicações como o jornal New York Times e as revistas New Yorker, Time, Rolling Stone e Paris Match.

    Seu trabalho nos ataques de 11 de setembro de 2001 às Torres Gêmeas, em Nova York, lhe rendeu o prêmio “Picture of The Year” (Foto do ano), concedido pelo Instituto de Jornalismo Donald W. Reynolds, da Escola de Jornalismo do Missouri, nos EUA.

    As fotos de Cobb já foram exibidas em exposições coletivas e individuais em diversos museus e galerias americanas.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!