O discurso de Bolsonaro: o que ele diz, desdiz e reafirma

Candidato do PSL alterna pregação de tortura e de execução sumária com explicações, desmentidos ou simples ambiguidade

 

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) acumulou ao longo de quase 30 anos de vida pública uma longa coleção de frases chocantes. Algumas, mais antigas, falam explicitamente em “fuzilar” adversários políticos (1999). Outras, mais recentes, em “varrer do mapa” seus oponentes (2018).

Sobre algumas dessas declarações, ele diz que foi mal entendido. Sobre outras, afirma que foi “força de expressão”. E, sobre parte delas, Bolsonaro nunca deu qualquer esclarecimento.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.