O que o TSE fez e o que não fez no combate a notícias falsas

Justiça Eleitoral anunciou combate à desinformação como uma de suas prioridades na campanha eleitoral de 2018

 

O papel do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é administrar o processo eleitoral em todo o país. Em 2018, além de responder pelas normas, pela organização das eleições e das urnas eletrônicas, a corte se comprometeu pela primeira vez a combater e a punir as notícias falsas.

Três dias após o primeiro turno, na quarta-feira (10), integrantes do Conselho Consultivo sobre Internet e Eleições do TSE reuniram-se para fazer um balanço das ações e do impacto das fake news.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.