Ir direto ao conteúdo

O primeiro beijo entre dois meninos da novela ‘Malhação’

Casal de meninas já havia feito parte do enredo da temporada de 2017. Programa da Globo é exibido há mais de duas décadas

     

    Em capítulo que foi ao ar no dia 3 de outubro de 2018, a novela adolescente “Malhação”, da TV Globo, exibiu o primeiro beijo entre dois garotos de sua história.

    O beijo entre os personagens Santiago (interpretado por Giovanni Dopico) e Michael (Pedro Vinícius) acontece em uma cena em que ambos ficam a sós, após vencerem um campeonato de futebol do colégio onde estudam.

     

    Espectadores celebraram o beijo nas redes sociais.

    “Eu vivi pra ver um beijo entre dois garotos na #Malhação. Gente, que avanço incrível, mesmo que isso não represente nada pra muita gente. Colocar essas questões como algo que fazem parte da nossa realidade e cotidiano é dar aos adolescentes a oportunidade de entender que eles são normais, que seus amores existem, importam e são legítimos”, escreveu o usuário do Twitter Marcos Fileto.

    Iniciada em março de 2018, a temporada “Vidas Brasileiras”, dirigida por Natália Grimberg, é a 26ª da novela. O primeiro capítulo de “Malhação” foi ao ar em 1995.

    Apesar de ter atualmente uma audiência menor, em relação ao fim dos anos 1990 e início dos 2000, a novela ainda alcança milhões de espectadores. De 2 a 26 de julho de 2018, a média alcançada foi de 18 pontos no Ibope. Na Grande São Paulo, um ponto corresponde a 71.855 domicílios ou 201.061 indivíduos.

    A temporada anterior, “Viva a Diferença”, já havia exibido um beijo entre duas meninas, as personagens Lica (Manoela Aliperti) e Samantha (Giovanna Grigio). Dirigida por Cao Hamburger ( do programa infantil  “Castelo Rá-Tim-Bum” e do longa-metragem “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias”), a temporada de 2017 contou com algumas mudanças: saiu do Rio de Janeiro e foi para São Paulo, ganhou uma temática mais social e substituiu o casal protagonista por cinco meninas como personagens principais.

    No dia 12 de setembro de 2018, também foi ao ar na Globo o primeiro “beijo gay” em uma novela transmitida na faixa horária das 18h.

    No horário nobre, a primeira novela da Globo com uma cena em que pessoas do mesmo sexo se beijaram foi “Mulheres Apaixonadas”, em 2003.

    Depois do beijo de Clara (Alinne Moraes) e Rafaela (Paula Picarelli), o primeiro beijo entre dois homens a figurar na novela das 21h foi em “Amor à Vida”, em 2014.

    Apesar de ter se disseminado na programação da emissora com maior audiência do país só nos anos 2000, o primeiro “beijo gay” da TV brasileira data de 1963: foi dado por duas mulheres, interpretadas pelas atrizes Vida Alves e Geórgia Gomide, em uma cena do teleteatro “A Calúnia”, exibido pela TV Tupi.

    O que representa

    O reconhecimento e a normalização da diversidade sexual e de gênero são citados por especialistas como efeito possível da representação LGBT na TV.

    “Quando questões concernentes às deliberações a respeito da comunidade LGBT são abordadas por uma telenovela, elas ganham uma dimensão de visibilidade capaz de instaurar um debate público que convoca indivíduos e grupos a se posicionarem diante dos outros”, escreveu  Ângela Marques, pesquisadora e professora da Universidade Federal de Minas Gerais.

    A novela “carrega discursos que são veiculados diariamente para milhões de pessoas”, segundo Pâmela Guimarães da Silva, doutoranda no programa de pós-graduação em Comunicação Social da UFMG, “constituindo-se um importante lugar de construção de valores e de representações sobre a sociedade brasileira”.

    As limitações

    Em um texto publicado em maio de 2018 no blog “Close - o mundo gay visto de perto”, o colunista e crítico de moda da Folha de S.Paulo Pedro Diniz critica os “selinhos longos” encenados pela Globo, “exibidos seguindo o olhar enviesado sobre os limites do aceitável para a audiência”.

    “Na maioria dos casos, beijos entre homens ocorrem nos últimos capítulos, como clímax de histórias coadjuvantes nos meses de exibição e, invariavelmente, são tímidos, recatados e sem nenhum compromisso com o realismo”, escreveu o colunista.

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!